A greve dos caminhoneiros é motivo de lamentação e não de comemoração

0
355

A greve dos caminhoneiros é motivo de lamentação e não de comemoração
Por Carlos Arouck

Na atual conjuntura, toda reivindicação é justa, mas inconsequente em um país empobrecido. A greve dos caminhoneiros e seus efeitos colaterais vêm ao encontro do desgoverno e da roubalheira dos cofres públicos nos últimos anos. Os aproveitadores de plantão mais uma vez aparecem como abutres em cima da carniça.

Quem está por trás de uma greve que vai trazer mais prejuízo para os cidadãos do que as conquistas de uma categoria? A culpa sempre é dos políticos. Que políticos? Aqueles que saquearam a terra dos tupiniquins! O efeito cascata dessa irresponsabilidade cairá sempre na atividade econômica da cidade de cada trabalhador, de cada pagador de imposto e quando tudo piorar a revolta atingirá os próprios caminhoneiros que não tiveram a sensibilidade de pelo menos garantir o básico para a sobrevivência dos hospitais, da segurança pública, das escolas. De quem estamos reféns? Do governo ou dos grevistas?

Eu fico pensando onde estão os estoques estratégicos que um país precisa ter para atender suas demandas em caso de crise, calamidade ou guerra. Quanto tempo os caminhoneiros autônomos vão aguentar sem fazer o frete para sua própria sobrevivência? Não muito. O Bloqueio de Berlim (de 24 de junho de 1948 a 11 de maio de 1949) foi um bom exemplo de como evitar uma crise de abastecimento. A crise arrefeceu ao ficar claro que a URSS não agiria para impedir a ponte aérea de alimentos e outros gêneros organizada e operada pelos Estados Unidos, Reino Unido e França. Mudar a dura realidade do Brasil exigirá o sacrifício de várias gerações e a responsabilidade política dos futuros governantes. Não será resolvida por uma paralisação. A melhor resposta deve ser dada em breve nas urnas.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorSegurança pública o caos continua
Próximo artigoNão existe solução fácil
Carlos Arouck
Agente de Polícia Federal - Bacharel em Direito - Licenciado em Administração de Empresas - Foi Instrutor Academia Nacional de Polícia - Palestrante na área de Segurança Pública - Fundador do Movimento Brasil Futuro (MBF) - Consultor de Cenários Políticos - Consultor de Estratégia de Segurança Pública

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here